Bem, estou aqui pensando em um bom motivo para uma conversa com vocês. Hoje temos muita informação e pouco conhecimento. Sabe porque estou dizendo isso? Pelo simples fato de que muita gente não tem ideia que uma coisa é diferente da outra. Informação é apenas uma notícia que chega até você e conhecimento e o resultado que ela gera.

Para ficar claro, agora mesmo você está em um site cheio de informações maravilhosas e úteis, mas se não aplicá-las de verdade na prática seu cérebro descarta e não acontece nada! No máximo poderá lembrar que já viu isso em algum lugar.

Então, essa é minha proposta. Vamos começar a desenvolver foco! Parece que é só uma decisão a tomar, mas é mais que isso. Quando falamos em foco temos que aprender o autocontrole, a respirar em um ritmo calmo, abstrair a mente de qualquer outra coisa, e o mais difícil, manter nosso cérebro sob controle e não deixar que aqueles pensamentos comuns atrapalhem o estudo.

 

Antes precisamos desligar o celular e entender que não estamos sendo egoístas com outros, mas precisamos de um tempo especial para nos dedicar a música. No início pode acontecer de você sentir uma ansiedade em abrir outra página do computador, o facebook, twitter, etc., mas respire um pouco e lembre-se: o mundo não vai acabar naqueles próximos minutos e fique tranquilo.

Outra regra importante: não comece achando que vai conseguir ficar 8 horas estudando direto, não acontece assim. É mesma coisa que chegar na academia e tentar levantar uma barra de 100kg no primeiro dia.

O plano de estudo

Então, monte um plano de estudo de bateria. Não sabe como? Eu ajudo.
Esse alfabeto rítmico é obra do grande baterista Benny Greb (quem não o conhece ainda, sugiro que busque no You Tube). No seu DVD é usado diversas formas incríveis, e acredito que é tão boa a ideia deste alfabeto que podemos criar exercícios infinitos com base nela.

Alfabeto rítmico de Benny Greb - Plano de estudo de bateria

Voltamos a minha proposta: FOCO, isso ajuda muito, não precisaremos nem virar a folha.

Está dividido da letra “A” a letra “P” em quatro toques por tempo e da letra “Q” a “Z” em três toques por tempo. Nossa proposta é sair com informação e conhecimento juntos, ok?

Use sempre nos quatro toques — D E D E — e nos três tempos — D E D – E D E (aqui acontece a inversão das mãos).

Exemplo: Se você tocar na caixa ostinato — D E D E — o bumbo seguirá as bolinhas pretas, ok? Muito fácil e não precisamos de conhecimento musical avançado para entender. Assista ao vídeo para ter certeza se está fazendo corretamente.

Ao estudar, fique atento:

A – ComeCe devagar;
B – Quando a coordenação cair na mão esquerda com pé direito, não deixe ficar soando como flam;
C – Só aceite como feito, depois que fizer em três velocidades: lento, médio e rápido, do começo ao final e sem erros. Lembre-se, sua mente durante o exercício forma padrões onde a exigência de qualidade é gravada e usada para outras situações musicais, se você aceitar um exercício “meia boca”, você também aceitará uma execução “meia boca”, sem perceber. Atenção nesse quesito;
D – Repita 4 vezes e passe para a próxima letra.

Muito obrigado! E seguiremos juntos todo mês com o estudo de bateria, aqui neste canal de informação tão importante, o nosso Som Batera.

TJAZZ para vocês!
Julio Bittencourt.

CONTEÚDO VIP

COMPARTILHAR
Julio Bittencourt
É formado pela Universidade Livre de Música Tom Jobim e diretor do Instituto Musical Bittencourt (IMB). Estudou com grandes bateristas como: John Riley, Zé Eduardo Nazário, Duda Neves e Toniquinho. Atualmente é endorsee das marcas Gretsch e Drum Pads.

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA